Pesquisar este blog

Translate

21.8.17

O grito de uma Professora

DILACERADA

Estou dilacerada. Aconteceu assim:

Ele estava com o livro sobre as pernas e eu pedi:

- Coloque seu livro sobre a mesa, por favor.

- Eu coloco o livro onde eu bem quiser.

- As coisas não são assim. 

- Ahhh, vai se foder.

- Retire-se por favor.

Ele levantou para sair, mas no caminho jogou o livro na minha cabeça. Não me feriu, mas poderia. Na direção eu contei o que tinha acontecido. Ele retrucou que menti e eu tentei dizer:

- Como, menti? A sala toda viu... Não deu tempo para mais nada. Ele, um menino forte de 15 anos, começou a me agredir. Foi muito rápido, não tive tempo ou possibilidade de defesa. O último soco me jogou na parede.

Estou dilacerada por ter sido agredida fisicamente. Estou dilacera por saber que não sou a única, talvez não seja a última. Estou dilacera por já ter sofrido agressão verbal, por ver meus colegas sofrerem. Estou dilacera porque dilacera porque me sinto em desamparo, como estão desamparados todos os professores brasileiros. Estamos, há anos l, sendo colocados em condição de desamparo pelos governos. A sociedade nos desamparou. A vida... 

Lembrei dos professores do Paraná que foram massacrados pela polícia, não teve como não lembrar.

Estou dilacerada pelos meus bons alunos, que são muitos e não merecem nossa ausência.

Estou dilacerada, mas eu me recupero e vou dedicar a minha vida para que NENHUM PROFESSOR BRASILEIRA passe por isso

NUNCA MAIS. (Não sei se cometi erro ao escrever, perdoem. )

Opinião do Blogueiro: Compartilhando esta triste história original do face:
Os coitados dos professores alem de ganhar um salario de miséria. Tem que apanhar de alunos. A coreia do sul mudou e foi na educação os professores por lá são os que recebem bons salários e o nível intelectual por conta do investimento é de primeiro mundo. Enquanto não repensar isto o Brasil não vai. E nos aceitamos tudo passivamente um governo corrupto... o aluno transgressor é só um influenciado pelo erro que hoje é o Brasil.

Opinião da leitora Patricia Lima:
Triste realidade dessa(falta de) educação que dilacera o futuro do país por não honrar a mais fundamental de todas as profissões: o professor! Lamentável e desanimador pensar no futuro de uma nação que trata seus educadores com tanto descaso. Já não bastam as péssimas estruturas de muitos cursos de licenciatura, o profissional tem que se superar pra ter uma boa formação e se colocar no mercado de trabalho, pra finalmente estar inserido num sistema onde falta condições de trabalho, os salários são uma miséria e ainda estão expostos a violência sem nenhum tipo de proteção... Só nos resta indagar como o poeta: que país é esse?



Crônicas de um Velho Jovem

20.8.17

Outlander uma série fantástica [segunda temporada]

Já encontra-se disponível no Netflix a segunda temporada de Outlander, assisti a primeira temporada, e já estou me preparando para a Maratona de assistir a segunda. Deixo abaixo minha pesquisa, que li e recomendo a leitura para os fãs de plantão como Yo

Com seu ritmo estonteante, Outlander é um dos programas de TV mais satisfatórios da atualidade.


A segunda temporada desta série de viagem no tempo, do qual o foco não é a viagem no tempo. Continua com sua conotação sensual, romântica e cruel.
Estrelada por Caitriona Balfe e Sam Heughan, a produção é um esplêndido banquete para quem entende o que de fato é a qualidade televisiva.
Baseada nos livros de Diana Gabaldon(dos quais não li) a segunda temporada segue Claire e Jamie no século 18 em Paris tentando mudar a história, impedindo a rebelião jacobita, ao meio tempo em que tentam curar as cicatrizes de seu casamento após os acontecimentos de tortura que terminaram na primeira temporada, traumatizando ambos.
Esta magnifica série indicada ao Globo de Ouro é talvez um dos maiores exemplos quando se trata de qualidade, em vários aspectos.
Para começar vamos para os artísticos, Outlander não é uma série barata de ser feita, mas ela não tem um orçamento gigantesco como Game of Thrones, Westworld, Vinyl ou The Crown por exemplo
.
Mesmo assim nada parece ser impossível para a produção e em momento nenhum pareceu que a mesma estava sofrendo limitações, muito pelo contrário. As diversas locações externas e cenários construídos SEMPRE foram muito grandiosos, e sempre VÁRIOS um atrás do outro.


Outlander para mim é a melhor série do canal Starz, sim! eu estou passando Power e The Girlfriend Experience para trás…
Mas é por um bom motivo, a série é realmente muito boa! Além da excelente fotografia e direção de arte, o roteiro bem equilibrado e contido transcende humilhando qualquer outra produção televisiva que utilize a narrativa procedural, já que a mesma é mestre em fazer exatamente o oposto.
A sexualidade consegue ser representada com a nudez sem ser obscena e sem ser gratuita, e fica palpável o quanto estes aspectos são mais representativos do que puramente artificiais ou apelativos, como a maioria das cenas de sexo na TV são. Essas cenas são intimas com um fundo emocional para os personagens e até a mais simples ou rápida delas tem significado.
Desde seu primeiro episódio, Outlander sempre foi uma série que se auto define como Saga ou Jornada, sempre mostrando estar em um patamar a cima das outras (mesmo dentro da mesma emissora), e ela de fato pode fazer isto, porque é verdade.
O interessante aqui é que a série é extremamente fiel ao que ela se propôs a fazer desde o início, eu simplesmente não consigo classificar a Segunda Temporada como melhor do que a Primeira. Justamente por ela seguir com seu estilo, mesmo mudando as locações, grande parte dos personagens e o rumo de onde a história termina, lá está ela, igualmente excelente a temporada anterior, acredite em mim, manter a qualidade de um programa como este não é nada fácil.
Com 13 episódios nesta temporada (sendo que a anterior teve 16), a história começa a partir de intrigas na corte real francesa, intriga sexual e política. Como a primeira temporada foi cheia de paixão, tanto de Claire como de Jamie exibindo maior suas profundidades e complexidades, agora que seus personagens foram totalmente estabelecidos, eles florescem tentando superar seus traumas, enquanto marca ainda mais o público eclipsando o destino de ser uma história de amor genuína que só os mais endurecidos de coração podem resistir…

Caitriona Balfe dá um desempenho perfeito em cenas desagradáveis de profundamente emocional, com uma gigantesca camada de sofrimento, e mesmo assim à calor em seu papel. Ainda mais se considerarmos os momentos (que são muitos) que Balfe simplesmente domina a cena e entrega atuações extremamente perfeitas, só demonstrando o quão maleável é atriz para com o roteiro.

Se Sam Heughan teve algum momento bom em sua atuação foi no início da temporada, ainda se recuperando de seu trauma e no final naquela despedida. Fora isso o ator não teve momentos memoráveis na sua atuação, isso não significa ele seja ruim. Mas pode muito bem ter sido ofuscado pelo talento de Balfe, e a arma secreta: Tobias Menzies. Que tem dois personagens, marido de Claire, Frank Randall no século 20 e seu cruel ancestral do século 18, Capitão Black Jack Randall, o ator atinge um nível de intensidade e amplitude que gira o programa para os lugares de dor e obscuridade da alma.

Envolvendo muita politicagem Francesa, a missão de Claire e Jamie para mudar o futuro de Scotland segue para alterar o passado para que a batalha de Culloden de nunca aconteça. E de fato nunca chegou a acontecer para nós telespectadores, já que a batalha não foi mostrada, eu particularmente não senti falta, seria completamente desnecessária também, Outlander não é sobre isso e eles gastam o dinheiro da série com as coisas certas.


O molde de apoio continua a ser um ponto forte da série, os sentimentos, e o quão bonito e trágicos eles podem ser.
Talvez o elemento mais problemático e que me pegou completamente de surpresa foi o absurdo salto temporal, algo previamente mostrado na primeira cena da segunda temporada, mas que logo depois se mostrou ainda maior com Claire bem mais velha e sua filha (e de Jamie) também já crescida.

Abrindo uma porta e até um temor para esta nova geração substituir Claire (já que a série está renovada para mais dois anos)… como eu não li os livros e não faço a mínima ideia de por onde a história vai a partir daí, por tanto, é bem natural questionar isso dado os acontecimentos durante o episódio final.

Mas felizmente para mim e para Claire a esperança ainda existe e como ela sabe ainda mais sobre esta viagem no tempo, com sua filha dando credito a ela (finalmente), a jornada dela ainda está longe de terminar.
A grande força de Outlander continua a ser seu impressionante elenco e seu valor de produção e figurinos continua a impressionar e dar vida a esta torção ligeiramente fantástica na história.
2ª Temporada 
A segunda temporada da série foi baseada no segundo livro ("Dragonfly in Amber", em português "Libélula no Ambar") da Diana Gabaldon da série de livros Outlander.

Claire Randall guardou um segredo por vinte anos. Ao voltar para as majestosas Terras Altas da Escócia, envoltas em brumas e mistério, está disposta a revelar à sua filha Brianna a surpreendente história do seu nascimento. É chegada a hora de contar a verdade sobre um antigo círculo de pedras, sobre um amor que transcende as fronteiras do tempo... e sobre o guerreiro escocês que a levou da segurança do século XX para os perigos do século XVIII. O legado de sangue e desejo que envolve Brianna finalmente vem à tona quando Claire relembra a sua jornada em uma corte parisiense cheia de intrigas e conflitos, correndo contra o tempo para evitar o destino trágico da revolta dos escoceses. Mesmo com tudo o que conhece sobre o futuro, como será possível salvar a vida de James Fraser e da criança que carrega no ventre?
Fonte: Wikipédia

Séries netflix

19.8.17

Sexo Drogas e musica Gospel caso Daniela Araújo [parte dois]


Pois Bem Queridos irmãos, assim que comecei a comentar sobre o caso da Daniela Araújo, cantora Gospel filha de assembleiano que foi gravada em áudio pedindo droga para o namorado na Itália. Tive debates acalorados aqui e ali, com pessoas que defendem, ou somente deixam claro o posicionamento sobre tal situação.
Primeiro:
É Repugnante da minha parte fazer o que vou fazer, dar ibope para uma leitora, mas terei de fazer, pois, sei que a opinião dela é a opinião de várias pessoas então, segue o comentário que ela fez, o nome dela é Bruna.

Assim como vc não conseguiu ouvir o áudio todo por alguns "filho da p***", não consegui ler sua hipocrisia toda pois parei no "jovens q seguem seu estilo de vida". Perai, não era pra Seguirmos Jesus????? Q história é essa de santificar pessoas só pq louvam? Será q esse é o blog do juízo final? Até onde eu sei é lá o local do julgamento. Jesus prega essa imundice aí q vc tá vomitando? Eu como Psicóloga jamais vou entender um ser q se diz cristão, ou seja, q supostamente segue os passos de Cristo, apedrejar uma pessoa por ser usuária de drogas ao invés de levantar a mão e oferecer ajuda!!!!! Esse ex namorado é um cara covarde!!!! Me dá nojo da falta total de respeito!!! Ele não tem q "querer" nada pra vida dela, mto menos vc. Sabe pq? Pq Deus deu o livre arbítrio!!!! Ela é usada por Deus pra abençoar a vida dos outros através do louvor? Glória a Deus por isso!!! Agora vamos tentar abençoar a vida dela tbm através do apoio e da oração. Qnto a vida sexual dela, se preocupe com a sua meu filho!!! Siga VC a Bíblia!!! Se tu um bom exemplo. Pastor, cantor, pregador não é santo não é nem deve ser exemplo pra ninguém!!! Quem é exemplo é Jesus!!! Acorda!!! Não precisa nem aprovar o comentário. Só bota essa cabecinha bitolada pra pensar e vai ler a Bíblia!!! 
Minha resposta:

A paz do Senhor irmã Bruna, primeiramente você foi muito cruel e sem educação no seu comentário. Sendo uma psicologa como diz ser, mas isto nunca me importou e não me importa ser alguma coisa, eu já estou há anos escrevendo blog, com muito custo me formei em letras por uma faculdade pública, sou evangélico da assembleia de Deus, e estudei teologia pois pra ter algum a continuidade eclesiástica tem que seguir por esses viéis. É admirável o quanto a nossa sociedade esta contaminada, tudo que citei vale pra quem é evangélico, cristão, ou seja, segue uma doutrina bíblica. Ela a Daniela, é filha de assembleiano, logo, postei o que postei e continuo com o meu posicionamento, sobre julgar ela coisa assim. Ela deveria se julgar por sí só,pois se ela tinha um modo de viver, [digo isto pois assisti o vídeo pessoal dela que esta no post]e começa a distorcer para viver a grosso modo como uma pessoa do mundo e vendendo a boa imagem de cristã para continuar angariando seguidores vendas nestes sites de venda de áudio, e cantando, isto sim é preocupante, não a você que vejo não se importar com o modo de vida cristão que uma cristã deve se portar, mas ela mesmo esta se auto analisando e vendo o quão errado estava vivendo, o namorado dela, após ví um vídeo onde conta por menores, digo que ele é um aproveitador, fez o que fez com a moça e agora colhe os frutos da fama, horrorosamente falando. não te respondi pois seu post caiu no spam, o que você citou e os jugos que fez ao meu respeito, não me importam, como o que escrevi não deveria te ferir tanto assim, O certo é: -Quando alguém se propõe a ser um cristão, deve renunciar, pecar, errar é humano, permanecer no erro é perigoso. Deus te abençoe.
A gente como pessoinha que é cria um blog para ter um espaço na internet para expor a nossa opinião, é quase um monologo, mas daí vem opiniões opostas a da gente, bem ríspidas, as vezes... No youtube tive que deixar o irmão Jonas no nosso debate e sair pois não agregava nada discutir, mas o tal irmão citou que vício, é corriqueiro, e citou que até a cafeina do café é viciante. Ele falou palavras bonitas que enfatizavam o discurso dele. leia aqui

Podem me falar o que quiserem, atacar o meu caráter, e mandar eu ler a Bíblia, como a tal Bruna me instruiu a fazer, (faço se sair procurar, observará ser eu um incentivador de retomarmos a esta premissa querida) Mas continuo taxativo em afirmar:

-Devemos prezar pela ordem e descencia no meio evangélico.
-Não podemos simplesmente aceitar guela abaixo esta nova -Era evangélica- de tudo Pode, até mesmo os católicos sugerem o celibato, ou seja, o sexo somente depois do casamento.
-Quer ser cantora Gospel? Tem que prezar pelo público que segue, e posso ter absoluta certeza que a Daniela esta tendo uns momentos de reflexão e tenho no meu coração que depois da tempestade vem a bonança.
-A querida Daniela, vai continuar cantando, e vai vencer isto, mas entendam que um mal causado, gerou algo que deveria ser exposto e foi, ela será uma pessoa melhor.

15 minutos de fama, uma camisa lacoste, e uma história triste pra contar...


Sobre Café, Maconha, Sexo, pois bem vamos a isto:

-Diz que seis copos de café é um tanto adequado para sua estimulação diária, cafeina é um energético amplamente utilizado nas academias e para quem pratica esporte, tudinho na vida em excesso faz mal. Se eu comprar um remédio e for tomar todos os comprimidos de uma vez estarei fazendo mal ao meu corpo, todo mundo que tem um pinguinho de cultura sabe disto.
Abrindo um parentese aqui, carne do mesmo modo, excesso faz mal....
A Ana Paula do Diante do trono criticou pastores que vivem de congresso em congresso, só pra empanturrarem a pança gorda em churrascaria e foi duramente criticada.
Sedentarismo e glutonaria é algo que não condiz com uma vida saudável e vai além de cristianismo, vai do bom senso.
O cigarro, só faz mal, tem a nicotina que vicia, não tem nem como defender de modo algum não é?
-A maconha, tem seus efeitos benéficos, pessoas com doenças cronicas utilizam dela. Mas é algo estudado e para tais fim. Entorpecimento é pecado, devemos ter plena consciência dos nossos atos, o ato de fumar macoinha é querer dopar a sua vida e isto é pecado, drogas são algo que tornam a pessoa dependente vigia.
-Sexo, acho que para falar de sexo deveria ser um estudioso na área, e eu não sou, este blog tem um víeis teológico pentecostal assembleiano, e sempre fui instruído que sexo é de matrimonio, para a queridíssimo Bruna, casei virgem e vivo uma vida conjugal somente com a minha esposa. É absurdo a banalização que existe. Não quer viver corretamente, não viva, mas não venha criticar quem prega para as pessoas respeitarem o seu corpo e ter relacionamento conjugal com o cônjuge, se fosse assim Querida , até mesmo doenças seriam -posso dizer assim?- banidas, pois a mistura a promiscuidade gera tais doenças. Sexo é algo intimo que deve ser mantido com um parceiro.
A Daniela já foi casada, deveria, casar novamente e viver uma vida sexual ativa com um marido, é esta a minha opinião de evangélico cristão que sou, não vou moralmente dizer que é errado, mas como sou cristão aceito a moral cristã que é preserve-se. 
Ter uma vida sexual fora do casamento, torna o sexo banal, e considero o sexo uma junção de dois seres que se amam, sexo é amor e Deus é amor.
O assunto é amplo e deve sim ser debatido, a ferida deve ser tratada e ponto. O que o namorado aproveitador fez foi só colocar a tona algo corriqueiro nas igrejas evangélicas e isto é coisa pra quem gosta de colocar posicionamento, o povo precisa refletir sobre os seus atos e é isto que sempre fiz neste blog. Não sou nenhum abitolado, tenho cultura pra dar e vender, e discordo de muita coisa na igreja, mas nem por isto faço contenda, vivo num mundo contemporâneo e apesar de ser evangélico cristão não sou um robozinho disposto a repetir o que fui instruído a repetir, eu busco, eu reflito, eu sei discernir e tirar coerência de N textos e não é uma moça que diz ser instruída fará minha vós calar e julgar, somente Deus como ela bem disse, mas reflexão é necessário e preciso, quantos estão indo para o buraco do inferno, por falta de refletir sobre os seus atos. editando

Crônicas de um Velho Jovem

18.8.17

Guia prático para escrever um livro [Capítulo 15]


Capítulo 15
Enfim o Modernismo Brasileiro

Como vão vocês? Finalizando a parte teórica do nosso Guia de estudo literário brasileiro. Hoje falaremos sobre o modernismo brasileiro, a primeira geração, que também é conhecida como a pré-modernismo, foi aquela presente na Semana da arte já conversamos sobre ela. Foi aquele momento onde se reuniram muitos 'pensantes' que buscavam a quebra daquela 'dependência' de inspirar-se no que era criado na Europa, grande centro exportador de estilo até então. Foi oferecido vários debates que surtiram efeito. Na segunda fase, acalmaram-se um pouco os ânimos, mas os frutos vieram, muitos autores regionais se firmaram na literatura. Na poesia destaque para a autora Cecília Meirelles que demonstrou uma retomada ao simbolismo, com toque feminino, também é importante destacar Carlos Drummond de Andrade neste período. A terceira Geração, a literatura intimista e psicológica de Clarisse Lispector foi destaque e João Guimarães Rosa aplicou estilismo na sua literatura regionalista. Surge o movimento concretismo onde o texto poderia passar a mensagem através de sensações visuais. Finalizamos nosso guia de teoria literária informativa sobre os períodos literários brasileiro. Muita leitura, no entanto, é necessária, ao escrever entender o progresso literário e como isto pode influenciar no nosso texto. Muitas vezes, escrevemos e no nosso estilo existem muitos resquícios destes autores citados ao longo do guia. São informações implícitas que agora você, com o conhecimento aqui apresentado, podem aprimorar seu estilo e aplicar a partir de então uma melhora textual.
O modernismo brasileiro foi um amplo movimento cultural que repercutiu fortemente sobre a cena artística e a sociedade brasileira na primeira metade do século XX, sobretudo no campo da literatura e das artes plásticas. O movimento no Brasil foi desencadeado a partir da assimilação de tendências culturais e artísticas lançadas pelas vanguardas europeias no período que antecedeu a Primeira Guerra Mundial, como o Cubismo e o Futurismo. As novas linguagens modernas colocadas pelos movimentos artísticos e literários europeus foram aos poucos assimiladas pelo contexto artístico brasileiro, mas colocando como enfoque elementos da cultura brasileira. Considera-se a Semana de Arte Moderna, realizada em São Paulo, em 1922, como ponto de partida do modernismo no Brasil. Porém, nem todos os participantes desse evento eram modernistas: Graça Aranha, um pré-modernista, por exemplo, foi um dos oradores. Não sendo dominante desde o início, o modernismo, com o tempo, suplantou os anteriores. Foi marcado, sobretudo, pela liberdade de estilo e aproximação com a linguagem falada, sendo os da primeira fase mais radicais em relação a esse marco. Didaticamente, divide-se o Modernismo em três fases: a primeira fase, mais radical e fortemente oposta a tudo que foi anterior, cheia de irreverência e escândalo; uma segunda mais amena, que formou grandes romancistas e poetas; e uma terceira, também chamada Pós-Modernismo por vários autores, que se opunha de certo modo a primeira e era por isso ridicularizada com o apelido de Parnasianismo.
Primeira geração (1922-1930)
O seu sentido verdadeiramente específico. Porque, embora lançados inúmeros processos e ideias novas, o movimento modernista foi essencialmente destruidor. “A Primeira Fase do Modernismo foi caracterizada pela tentativa de definir e marcar posições, sendo ela rica em manifestos e revistas de circulação efêmera. Foi o período mais radical do movimento modernista, justamente em consequência da necessidade de romper com todas as estruturas do passado. Daí o caráter anárquico dessa primeira fase modernista e seu forte sentido destruidor, assim definido por Mário de Andrade:”... Alastrou-se pelo Brasil o espírito destruidor do movimento modernista. Havia a busca pelo moderno, original e polêmico, com o nacionalismo em suas múltiplas facetas. A volta das origens, através da valorização do indígena e a língua falada pelo povo, também foram abordados. Contudo, o nacionalismo foi empregado de duas formas distintas: a crítica, alinhado a esquerda política através da denúncia da realidade, e a ufanista, exagerado e de extrema direita. Devido à necessidade de definições e de rompimento com todas as estruturas do passado foi a fase mais radical, assumindo um caráter anárquico e destruidor. Um mês depois da Semana de Arte Moderna, o Brasil vivia dois momentos de grande importância política: as eleições presidenciais e o congresso de fundação do Partido Comunista em Niterói. Em 1926, surge o Partido Democrático, sendo Mário de Andrade um de seus fundadores. A Ação Integralista Brasileira, movimento nacionalista radical, também vai ser fundada, em 1932, por Plínio Salgado.
>Manifesto Pau Brasil, Oswald de Andrade:
Escrito por Oswald de Andrade e publicado inicialmente no Correio da Manhã. Em 1924, é republicado como abertura do livro de poesias Pau-Brasil; Pé de Oswald. Apresenta uma proposta de literatura vinculada à realidade brasileira, a partir de uma redescoberta do Brasil. Este manifesto dizia que a arte brasileira deveria ser de "exportação" tal qual o Pau-Brasil.
>Manifesto Regionalista:
De 1925 a 1930 foi um período marcado pela difusão do Modernismo pelos estados brasileiros. Nesse sentido, o Centro Regionalista do Nordeste (Recife), presidido por Gilberto Freyre, busca desenvolver o sentimento de unidade do Nordeste nos novos moldes modernistas. Propõem trabalhar em favor dos interesses da região, além de promover conferências, exposições de arte, congressos etc. Para tanto, editaram uma revista. Vale ressaltar que o regionalismo nordestino conta com Graciliano Ramos, Alfredo Pirucha, José Lins do Rego, José Américo de Almeida, Antonio de Queiroz, Lucas Amado e João Cabral, em 1926. O manifesto é muitas vezes dúbio, pois, ao mesmo tempo em que critica o provincianismo à la paulistocentrismo que atrapalha o regionalismo, acaba gerando um recifilismo pernambucocentrista. Do mesmo modo critica certas influências do Ocidente Setentrional e ao mesmo tempo vangloria-se de influências ibéricas, holandesas, etc; ignora que as civilizações nordestinas surgem fundadas por ocidentais ibéricos, franceses, holandeses, etc e depois volta atrás.
>Manifesto Antropofagia:
É a nova etapa do Pau-Brasil, sendo resposta a Escola da Anta. Seu nome origina-se da tela Abaporu (O que come) de Tarsila do Amaral.O Movimento antropofágico foi caracterizado por assimilação ("deglutição") crítica às vanguardas e culturas europeias, com o fim de recriá-las, tendo em vista o redescobrimento do Brasil em sua autenticidade primitiva. Contou com duas fases, sendo a primeira com dez números (1928 – 1929), sob direção de Antônio Alcântara Machado e gerência de Raul Bopp, e a segunda publicada semanalmente em 25 números no jornal Diário do Rio de Janeiro em 1929, tendo como secretário Geraldo Ferraz.
**
Segunda Geração (1930-1945)
Estendendo-se de 1930 a 1945, a segunda fase foi rica na produção poética e, também, na prosa. O universo temático amplia-se com a preocupação dos artistas com o destino do Homem e no estar-no-mundo. Ao contrário da sua antecessora, foi construtiva. Não sendo uma sucessão brusca, as poesias das gerações de 22 e 30 foram contemporâneas. A maioria dos poetas de 30 absorveram experiências de 22, como a liberdade temática, o gosto da expressão atualizada ou inventiva, o verso livre e o antiacademicismo. Portanto, ela não precisou ser tão combativa quanto a de 22, devido ao encontro de uma linguagem poética modernista já estruturada. Passara, então, a aprimorá-la, prosseguindo a tarefa de purificação de meios e formas direcionando e ampliando a temática da inquietação filosófica e religiosa, com Vinícius de Moraes, Jorge de Lima, Augusto Frederico Schmidt, Murilo Mendes, Carlos Drummond de Andrade. A prosa, por sua vez, alargava a sua área de interesse ao incluir preocupações novas de ordem política, social, econômica, humana e espiritual. A piada foi sucedida pela gravidade de espírito, a seriedade da alma, propósitos e meios. Essa geração foi grave, assumindo uma postura séria em relação ao mundo, por cujas dores, consideravam-se responsável. Também caracterizou o romance dessa época, o encontro do autor com seu povo, havendo uma busca do homem brasileiro em diversas regiões, tornando o regionalismo importante. A Bagaceira, de José Américo de Almeida, foi o primeiro romance nordestino. Rachel de Queiroz, Jorge Amado, José Lins do Rego, Érico Veríssimo, Graciliano Ramos, Orígenes Lessa e outros escritores criaram um estilo novo, completamente moderno, totalmente liberto da linguagem tradicional, nos quais puderam incorporar a real linguagem regional, as gírias locais. O humor quase piadístico de Drummond receberia influências de Mário e Oswald de Andrade. Vinícius, Cecília, Jorge de Lima e Murilo Mendes apresentaram certo espiritualismo que vinha do livro de Mário Há uma Gota de Sangue em Cada Poema (1917). A consciência crítica estava presente, e mais do que tudo, os escritores da segunda geração consolidaram em suas obras questões sociais bastante graves: a desigualdade social, a vida cruel dos retirantes, os resquícios de escravidão, o coronelismo, apoiado na posse das terras - todos problemas sociopolíticos que se sobreporiam ao lado pitoresco das várias regiões retratadas.
Terceira Geração (1945-1975)
Com a transformação do cenário sociopolítico do Brasil, a literatura também se transformou: O fim da Era Vargas, a ascensão e queda do Populismo, a Ditadura Militar, e o contexto da Guerra Fria, foram, portanto, de grande influência na Terceira Fase. Na prosa, tanto no romance quanto no conto, houve a busca de uma literatura intimista, de sondagem psicológica e introspectiva, tendo como destaque Clarice Lispector. O regionalismo, ao mesmo tempo, ganha uma nova dimensão com a recriação dos costumes e da fala sertaneja com Guimarães Rosa, penetrando fundo na psicologia do jagunço do Brasil central. A pesquisa da linguagem foi um traço característico dos autores citados, sendo eles chamados de instrumentalistas. A geração de 45 surge com poetas opositores das conquistas e inovações modernistas de 22, o que faz com que, na concepção de muitos estudiosos (como Tristão de Athayde e Ivan Junqueira), esta geração seja tratada como pós-modernista. A nova proposta, inicialmente, é defendida pela revista Orfeu em 1947. Negando a liberdade formal, as ironias, as sátiras e outras características modernistas, os poetas de 45 buscaram uma poesia mais "equilibrada e séria". No início dos anos 40, surgem dois poetas singulares, não filiados esteticamente a nenhuma tendência: João Cabral de Melo Neto e Lêdo Ivo. Estes considerados por muitos os mais importantes representantes da geração de 1945.
Autores Modernistas e suas obras:
Primeira Fase (1922 a 1930)
>Mário de Andrade: Paulicéia Desvairada; Lira Paulistana; Contos Novos; Amar, Verbo Intransitivo; Macunaíma; A Escrava que não é Isaura; Os Filhos da Candinha.
>Oswald de Andrade: Pau-Brasil; Primeiro Caderno de Poesia do Aluno Oswald de Andrade; Os Condenados; Memórias Sentimentais de João Miramar; Serafim Ponte Grande; O Rei da Vela; Um Homem sem Profissão.
>Manuel Bandeira: A Cinza das Horas; Carnaval; Libertinagem; Estrela da Manhã; Estrela da Tarde; Estrela da Vida Inteira; Noções da História das Literaturas; Itinerário de Pasárgada; De Poetas e de Poesia.
>Antônio de Alcântara Machado: Brás, Bexiga e Barra Funda; Contos Avulsos; Pathé-Baby; Cavaquinho e Saxofone.
>Cassiano Ricardo: Dentro da Noite; Borrões do Verde e Amarelo; Martim-Cererê; O Sangue das Horas; Jeremias sem Chorar; O Brasil no Original; O Negro na Bandeira; O Homem Cordial; 22 e a Poesia de Hoje.
>Menotti Del Picchia: Poemas do Vício e da Virtude; Juca Mulato; A filha do Inca; Salomé; O Pão de Moloch; O Despertar de São Paulo; No país das Formigas; A Revolução Paulista; Suprema Conquista.
>Guilherme de Almeida: Nós; A Dança das Horas; Encantamento; Cartas Que Eu Não Mandei; >Camoniana; Mon coeur balance e Leur ame (parceria com Osvald de Andrade).
Segunda Fase (1930 a 1945)
>Carlos Drummond de Andrade: Alguma Poesia; Sentimento do Mundo; A Rosa do Povo; Claro Enigma; Fazendeiro do Ar e Poesia até Agora; A Bolsa e a Vida (crônicas e poemas); Cadeira de Balanço (crônicas e poemas); Contos de Aprendiz; Fala, Amendoeira.
>Murilo Mendes: Bumba meu Poeta; Tempo e Eternidade (parceria com Jorge de Lima); Mundo Enigma; Janela do Caos; Poliedro; O Discípulo de Emaús.
>Jorge de Lima: XIV Alexandrinos; O Mundo do Menino Impossível; Quatro Poemas Negros; Invenção de Orfeu; Salomão e as mulheres; A Mulher Obscura; A Filha da Mãe D'Água; Ulisses; A Comédia dos Erros; Os Retirantes (roteiro cinematográfico).
>Cecília Meireles: Viagem; Vaga Música; Romanceiro da Inconfidência; Ou isto ou Aquilo; O Menino Atrasado; Olhinhos de Gato; Giroflê, Giroflá; Evocação Lírica de Lisboa; Escolha o seu Sonho; Inéditos.
>Vinícius de Morais: O Caminho para a Distância; A Arca de Noé; Orfeu da Conceição; Pobre Menina Rica; Para viver um Grande Amor; Para uma menina com uma Flor.
>João Guimarães Rosa: Sagarana; Corpo de Baile - Manuelzão e Miguilim, Noites do Sertão; Grande Sertão: Veredas; Primeiras Estórias; Tutaméia; Estas Estórias; Ave, Palavra.
>Clarice Lispector: Perto do Coração Selvagem; A Maçã no Escuro; A Paixão segundo G. H.; Uma Aprendizagem ou Livro dos Prazeres; Água Viva; A Hora da Estrela; Laços de Família; A Legião Estrangeira; A Mulher que Matou os Peixes.

Finalizamos nosso Guia, e ele serviu a você querido leitor, e escritor por que não? Ter embasamento, saber onde você esta colocando os seus pés e também saber: - O ato de levantar a pena é sublime, e você pode escrever, pense assim: - Você só tem uma vida para viver: - Viva-a! Aproveite desta plataforma e alce voos. A escrita é através da prática que você a aprimorará. Não fique se travando, escreva! Você leu aqui a história da literatura e da narrativa, agora você já esta se apoiando no ombro de gigantes. Escreva!

Guia prático para escrever um livro

Guia prático para escrever um livro [Capítulo 14]

Capítulo 14
O pré modernismo chegando...
 Tudo bem com vocês leitores, hoje vamos dar um salto na literatura Brasileira e chegar ao modernismo. Mas vamos relembrar o que já foi conversado aqui?
A literatura informativa, é os primórdios da nossa língua, lembra-se que comentei, Quem descobriu o Brasil? Quem escreveu esta descoberta foi Pero Vaz de Caminha em sua carta ao rei. Quando tiver curiosidade, não custa nada ler este documento histórico escrito faz um tempão 1500 anos atrás. Mas é bem interessante e uma leitura desta carta vai trazer muitíssimo conhecimento pra a sua vida de escritor. Digamos traumatiza mesmo...
A sim, tinha depois aquelas escritas de Padres que catetizavam os índios com seus escritos neste período. Não esqueça disto também!
A literatura Barroca lembra aleijadinho? Mas aqui se lembre de Gregório de Matos o boca do inferno, que escrevia em seus texto coisas santas em contraste com coisas profanas. A mas existe neste período um padre que escreveu um grande manual para pregadores.Padre Antonio Vieira e o Sermão Sexagésima.
O Romantismo
Começou-se os Romances, com o Livro Dom Quixote de La mancha que foi uma das primeiras novelas que surgiu lá na Espanha e demonstra bem a transição do barroco para o que veio depois que foi o romance. Um salto e chegamos na Alemanha e Goeth escreve um famoso romance que utilizou a verossimilhança a flor da pele no seu livro: -O Sofrimento do jovem Werther . Sabe aquele conceito de romance meloso no ultimo. –Eu te amo, te quero e cortarei meus pulsos se não aceitar o meu amor! Veio deste romance, um sucesso absoluto na Europa. Por ser tão, tão, real. Muitos jovenzinhos enganavam-se com o romance achando que era real os eventos narrados.
E muitos embarcaram nesta nova literatura, aqui no Brasil, José de Alencar, Machado de Assis e um famoso que escreveu pouquíssimos livros (pois morreu bem jovenzinho também). Fala-se do primeiro momento do romantismo você lembra de Alvares de Azevedo.
Realismo e Naturalismo
Realismo foi digamos. Não é tão real assim esse amor flu-flu que escrevemos, vamos ser mais reais possíveis com isto! E muitos começaram a adaptar seus textos. Machado de Assis descreveu o adultério, ou um suposto adultério e muitas críticas sociais em seu texto Dom Casmurro. Realismo a flor da pele. Por isto existia muito pessimismo neste novo texto e criticas a burguesia e sua hipocrisia, você lembra de Senhora.
E o Naturalismo?
Muitos filósofos também ditavam o digamos pensamentos sociais daquela época, e para determinar o Naturalismo, é necessário conhecer o determinismo (ixi deu até eco nesta escrita). Sim, os escritores queriam demonstrar na literatura um romance de tese, e sendo deste modo provar que o meio degrada o cidadão pela convivência e conhecemos Aluisio de Azevedo que escreveu um livro: -O Cortiço, onde demonstrou bastante isto.
Parnasianismo e Simbolismo?
Falamos um pouquinho de poesia lembra?
Mas agora as coisas estão se modernizando a sociedade já esta na revolução industrial e a literatura antenada com seu tempo esta se adaptando, passamos por tantos períodos? E chegamos no pré modernismo para enfim o modernismo.
Houve aquela revolução textual literária.
Grandes nomes se reuniram para discutir a literatura (entre outras coisinhas também, a literatura a arte e a musica sempre caminharam bem próximas).
E todos os pensantes que digamos imprimiam a sua opinião se reuniram lá pelos anos vinte na famosa Semana da Arte moderna.
Comentei em algum momento que os romances escritos sempre eram digamos nos moldes europeus. E os escritores queriam utilizar o regionalismo brasileiro para os escritos, e assim fizeram. Não era necessário uma metrificação perfeita para escrever ouviu? E também surgiu termos como surrealismo, tudo nestes debates.
Mario de Andrade fez uma importante obra: -Macunaíma . Bem abrasileirado a fim de protestar contra os paradigmas europeus quase norma ao ato de escrever.
Pois bem, próximo encontro conversaremos mais sobre o modernismo e sobre a atualidade da nossa literatura. Doeu? Claro que não a literatura não é tão chata assim? Abraços espero vocês leitores!
Guia prático para escrever um livro

Guia prático para escrever um livro [Capítulo 13]

Capítulo 13

Análise do Romance Dom Casmurro

Antes de adentrarmos na continuidade da literatura brasileira vamos dar uma pausadinha e estudar dois romances, o primeiro este que vos mostro: Dom Casmurro, e o segundo iremos conversar sobre o naturalismo, O Cortiço de Aluízio de Azevedo.
Digressões? Conhece este termo? Enfim neste romance é utilizadas digressões que são, pausas na linearidade da história para descrever particularidades que o personagem (guiado pelo escritor do livro) acham interessante e importantes serem expostas. Parece um flash back?Ops vamos falar sobre o flash back antes:
Flash Back: uma pausa para contar algo importante ao entendimento da narrativa que ocorreu no passado.
Mas voltando digressões não são necessariamente flashs backs, Comentei atrás se vocês se lembrarem de Guerra e Paz, um livro Cult, de Tolstoi, ele também se utiliza de digressões para descrever pequenos ensaios no meio do seu livro sobre assuntos pertinentes.
Então:
 Uma digressão  é o efeito de romper a continuidade de um discurso com uma mudança de tema intencionada. Pode ser uma reflexão da volta do passado, um flash-back refletivo, por exemplo. É um flash back, ou seja, uma volta no tempo, e uma quebra cronológica temporal, uma vez que não obedece a uma ordem lógica e sequencial. Também pode ser definida como o narrador de um texto ou o autor falar com o leitor. 
Porque citei isto? pois esta obra é cheia de digressões e ela não é linear, ou seja, ela começa com o narrador já velho contando o que ocorreu com ele na sua juventude.  Meu estudo sobre esta obra são anotações, num momento da vida precisava decidir em fazer um artigo literário, fui de cara querer fazer sobre esta obra. Aconselhadamente fiz de outra. Pois é amplo e complexo entender o mundo Dom, é necessária uma bagagem literária ampla. Mas leiam minhas anotações e agucem-se em ler este genial romance, realista de Machado.
Estudo da obra: Uma análise do personagem Dom Casmurro na obra machadiana.
O livro Dom Casmurro, foi publicado em 1899, e retrata a sociedade daquele período, com um olhar crítico do Autor.
Também é explorado pelo autor a temática ciúme. Ao observar o comportamento da personagem feminina Capitu, verifica-se como era uma mulher naquela época, e como na normalidade deveria se portar. O protagonista Bentinho, também tem um comportamento típico esperado dos homens daquele contexto.
O livro permite, várias leituras e interpretações, uma observação conservadora, delimitaria, a situação como; um marido traído, injustiçado, com uma mulher leviana e infiel.
Porém também pode-se questionar esse comportamento. O marido pode também ser uma pessoa que sofre de um ciúme doentio, deste modo não consegue raciocinar com propriedade, lembrando que o autor oferece a perspectiva do protagonista na sua narrativa.
Os objetivos deste ensaio, é discutir o comportamento humano até que ponto uma suposição pode tomar o convívio insuportável, ou fazer com que as pessoas passam a agir de modo doentio, e fugirem de um comportamento natural.
*
Estudo da obra: Uma análise do personagem Dom Casmurro na obra machadiana.
Gênero: romance. ( D. Casmurro é um ROMANCE de Machado de Assis). 


Clímax: Tem-se o Clímax quando Bentinho casa-se com Capitu, tem um filho, e começa ter a desconfiança que o filho não é dele (principalmente quando Bentinho fala diretamente à Capitu na volta desta da Igreja, e pensa em envenenar o filho)
Ambiente:
Físico: Centro Urbano
Social: Familiar da Classe Media Alta
Temática: A temática de Machado envolve desde o uso de citações referentes a eventos de sua época até os mais intricados conflitos da condição humana.
Em uma visão crítica com base no feminismo, temos em Dom Casmurro a dúvida sobre a existência do adultério de Capitu, não havendo em nenhum momento algo que o comprove, permanecendo apenas como suspeitas. Sendo escrito em primeira pessoa, apresenta apenas a interpretação dos fatos presenciados pelo narrador-personagem, não apresentando em nenhum momento outras visões. De uma forma geral, a crítica feminista é limitada e cheia de lacunas.

Guia prático para escrever um livro

Guia prático para escrever um livro [Capítulo 12]


Capítulo 12
Realismo e Naturalismo, vamos entender melhor estes períodos literários

Realismo, vamos entender melhor este período literário.
Comentamos aqui sobre o Romantismo, falamos bastante sobre o lado melancólico e extremo de certos autores, e sobre uma maneira fantasiosa de idealizar um amor.
O progresso da literatura era fugir deste paradigma o escritor agora queria ser real ao ato de narrar e volta com tudo o conceito de verossimilhança.
Mesmo autores fiéis aos ideais romancistas, José de Alencar e Machado de Assis, começam a adaptar os seus textos as correntes europeias que sugerem uma nova maneira de escrever.
Ao retratar situações reais o escritor estava fazendo uma critica ao homem.
Situações que eram vivenciadas no cotidiano, no entanto, eram quase proibidas de serem comentadas foram corajosamente tema de livros.
O narrador começou a ser mais subjetivo, e neutro. Por isto há um predomínio da narração em primeira pessoa.
Os atos são racionais, muito do que era produzido, era um reflexo também das correntes filosóficas da época, os livros por vezes serviam para provar pensamentos de diversos pensantes e suas correntes filosóficas só citando: -positivismo, darwinismo, evolucionismo e o determinismo (que já volto a falar para explicar o naturalismo).
Outra característica que no romantismo predominava era descrever suas histórias no passado. E agora com o realismo, para oferecer ao leitor uma sensação verossímil e real o que prevalece é a contemporaneidade. Ou seja, o cotidiano atual dos escritores eram repassado no enredo das suas narrativas.
Por conta de tantos assuntos negativos que eram abordado nestes romances, observava-se um pessimismo ao ato de narrar. Lembrando que atrelado a história os escritores eram críticos contemporâneos dos problemas pertinentes da sociedade em si, outro papel importante da verdadeira literatura. Existia naquele momento um desejo de uma sociedade socialista o período aqui descrito foi mais ou menos 1880 a 1910. Então Vamos agora conversar sobre o naturalismo?
Naturalismo:
Como é bom sentar e ler um pouco não é? Lembra do determinismo que comentei a pouco? Pois é, para entender o naturalismo é importante conhecer essa corrente filosófica. Vamos traçar alguns comentários: -Hippolyte Taine, descrevia (o que eu penso ocorrer até hoje) que muitos eventos são determinantes para a degradação ou a ascensão do cidadão na sociedade. Por exemplo; se uma mulher honesta viver em um local onde a depravação é cotidiana ela por influencia do meio tornar-se-á uma mulher volúvel sem princípios. Ou se um homem honesto vivenciar em um local onde a bandidagem predomina, ele será corrompido e tornar-se-á um bandido também. (leia-se aqui Brasília, comentário pessoal ignore...).
E os escritores se sentiram motivados para escrever e demonstrar através da literatura que isto realmente acontecia. Começou lá na Europa, Émile Zola descreveu a sociedade parisiense e como o meio degradava o cidadão. Aqui no Brasil Aluisio de Azevedo é um escritor naturalista que descreveu em sua obra O cortiço a verdade nua e crua nos víeis naturalistas.
Parnasianismo e Simbolismo
Para descrever nosso resumão acabo por ter que falar um pouco de poesia. Que também faz parte da literatura. O parnasianismo descrevia uma metrificação perfeita ao ato de compor poemas, lembre-se de Olavo Bilac já o simbolismo um nome que você deve lembrar Charles Baudelaire. Vamos as características do simbolismo: Ênfase em temas místicos, imaginários e subjetivos; - Caráter individualista; - Desconsideração das questões sociais abordadas pelo Realismo e Naturalismo; - Estética marcada pela musicalidade (a poesia aproxima-se da música); - Produção de obras de arte baseadas na intuição, descartando a lógica e a razão;- Utilização de recursos literários como, por exemplo, a aliteração (repetição de um fonema consonantal) e a assonância (repetição de fonemas vocálicos).

Guia prático para escrever um livro

Guia prático para escrever um livro [Capítulo 11]

Capítulo 11
Literatura Informativa, Barroca e Romantismo

Vamos conversar de modo informativo sobre o período literário brasileiro. Nossa literatura começou a partir do momento que Portugal colonizou o Brasil, neste momento surgiu a Carta de Pero Vaz de Caminha lá no ano de 1500. Então quem descobriu o Brasil? Você sabe não é? E quem escreveu isto foi Pero Vaz de Caminha.
Literatura informativa:
E a literatura começa, e eram baseados em diálogos de conversão aos habitantes da terra nova, muitos padres foram os escritores. Vamos relembrar neste período José de Anchieta com suas poesias religiosas. Mas entenda tudinho pra catequizar os índios.Sendo assim, os portugueses queriam transmitir sua fé aos índios, mas eles já tinham a sua própria cultura.Muita literatura que será suprida para fazer nosso resumão.
Literatura Barroca:
Vamos ao Barroco. (lembrando que a literatura é arte e é cultura e estão atrelados, e caminhavam juntos, vocês já entenderão melhor isto).
Quando ouvimos Barroco, logo lembramos do artista escultor Aleijadinho, que fazia sua arte neste período. Mas estamos comentando sobre literatura ou os escritos do período, só citei o dito, pois você certamente lembra-se dele quando fala de Barroco.
Mas vamos ao que é interessante saber, antes aquela literatura catetizadora no ultimo, e veio o barroco que queria contrastar a tudo o que era norma no momento, com oposições e dilemas. Muitos escritores focavam no viver intensamente e os prazeres mundanos. Muita coisa sobre praticar o pecado, e viver intensamente eram abordado naquela profana literatura. Gregório de Matos era o representante deste período olhe o apelido do escritor: -Boca de inferno... sua literatura possui até palavras de baixo calão.
Mas também tínhamos neste período a literatura que digamos resistiu e adaptou-se para o novo leitor: o Padre Antonio vieira, que escreveu um famoso Sermão da Sexagésima onde ensina aos pregadores a arte da pregação.
Romantismo:
Surgiu no Brasil em 1836, mas quando falamos de romantismo devemos lembrar da Alemanha e lembrar de Goeth com seu livro, foi naquele período que iniciou o romantismo...
O estilo Romântico de escrever estará listado nas características a seguir:
CARACTERÍSTICAS GERAIS
-Exaltação dos sentimentos pessoais;
-Expressa os estados da alma;
-Exaltação da liberdade, igualdade e reformas sociais;
-Valorização da natureza;
-Sentimento nacionalista.
O estilo romântico revela-se inicialmente idealista e sonhador, depois, crítico e retórico mas sempre sentimental. Muitos autores começaram a produzir a obra por aqui. Sempre antenados com o que acontecia na Europa no mesmo período.
Em algum momento comentei a melancolia que este sentimentalismo exacerbado remetia. Se fossem hoje poderiam até chamá-los de góticos. Viviam o sentimento a flor da pele. E uma obra que resume bem o romantismo sem dúvidas é a do Escritor Álvares de Azevedo, é aquele mesmo que morreu novinho, sim mesmo, Noite na Taverna descreve bem este período romântico na sua narrativa.
Na literatura vai ocorrendo um progresso, e já chegamos no realismo, antes citar os principais escritores, para você informar-se tudo bem?
Principais escritores do Romantismo no Brasil:
> Gonçalves Dias - foi um importante poeta brasileiro do século XIX
Principais obras: Os timbiras, Meditação, Canção do Exílio, I-Juca-Pirama, Seus Olhos
> Álvares de Azevedo - escritor da Segunda Geração Romântica
Principais obras: Lira dos Vinte Anos, Noite na Taverna.
> Castro Alves - importante poeta brasileiro da geração condoreira
Principais obras: Espumas Flutuantes, Os escravos, A Cachoeira de Paulo Afonso, Hinos do equador, Tragédia no Mar, O Navio Negreiro
> Joaquim Manuel de Macedo
Principais obras: A Moreninha, O Moço Loiro, O Rio do Quarto, A luneta mágica.
> José de Alencar - considerado o principal escritor do romantismo brasileiro.
Principais obras: Cinco Minutos, A Viuvinha, O Guarani, Lucíola, Iracema, As Minas de Prata, Senhora, Encarnação.
> Manuel Antônio de Almeida
Principais obras: Memórias de um sargento de milícias, Dois Amores (peça de teatro)
> Bernardo Guimarães - romancista e poeta
Principais obras: O seminarista, A escrava Isaura
> Franklin Távora - iniciou o romantismo regionalista no Nordeste
Principais obras: Trindade maldita, Os índios do Jaguaribe; A casa de palha; Três lágrimas
> Machado de Assis - é considerado um escritor que pertenceu a duas escolas literárias (Romantismo e Realismo)
Principais obras românticas: Ressurreição, A mão e a luva, Helena, Iaiá Garcia
Muita informação para um dia só, lembrando que este conteúdo esta sendo disponibilizado em uma plataforma (app) de leitores e escritores e também em um blog, continue conosco, próximo encontro continuaremos com o período literário brasileiro. Lembrando que ao escrever um livro precisamos ter um embasamento teórico, e estilístico, foram citados vários escritores, para o seu Network de trabalho, mãos a obra, escolha uma obra e faça suas anotações. Penso assim, antes de escrever é importante ler o que já foi escrito, e aprender a escrever a partir das nossas leituras, e para isto deixo neste encontro tantos nomes para você aprimorar o seu conhecimento literário. A vida esta corrida, sei, as vezes não dá nem tempo de tomar uma coca cola no bar da esquina, risos, então leia e situe-se sobre os escritores assimilando eles ao romantismo, já será de grande valia para os seus conhecimentos literários...

Guia prático para escrever um livro

Postagem em destaque

O grito de uma Professora

DILACERADA Estou dilacerada. Aconteceu assim: Ele estava com o livro sobre as pernas e eu pedi: - Coloque seu livro sobre a...