Pesquisar este blog

Translate

30.4.16

Deus sempre tem uma resposta

Você diz: "Isso é impossível"
Deus diz: "Tudo é possível" (Lucas 18:27)

Você diz: "Eu já estou cansado"
Deus diz: "Eu te darei o repouso" (Mateus 11:28-30)

Você diz: "Ninguém me ama de verdade"
Deus diz: "Eu te amo" (João 3:16 & João 13:34)

Você diz: "Não tenho condições"
Deus diz: "Minha graça é suficiente" (II. Corintos 12:9)

Você diz: "Não vejo saída"
Deus diz: "Eu guiarei teus passos" (Provérbios 3:5-6)

Você diz: "Eu não posso fazer"
Deus diz: "Você pode fazer tudo" (Filipenses 4:13)

Você diz: "Estou angustiado"
Deus diz: "Eu te livrarei da angustia" (Salmos 90:15)

Você diz: "Não vale a pena"
Deus diz: "Tudo vale a pena" (Romanos 8:28)

Você diz: "Eu não mereço perdão"
Deus diz: "Eu te perdôo" (I Epistola de São João 1:9 & Romanos 8:1)

Você diz: "Não vou conseguir"
Deus diz: "Eu suprirei todas as suas necessidades" (Filipenses 4:19)

Você diz: "Estou com medo"
Deus diz: "Eu não te dei um espírito de medo" (II. Timóteo 1:7)

Você diz: "Estou sempre frustrado e preocupado"
Deus diz: "Confiai-me todas as suas preocupações" (I Pedro 5:7)

Você diz: "Eu não tenho talento suficiente"
Deus diz: "Eu te dou sabedoria" (I Corintos 1:30)

Você diz: "Não tenho fé"
Deus diz: "Eu dei a cada um uma medida de fé" (Romanos 12:3)

Você diz: "Eu me sinto só e desamparado"
Deus diz: "Eu nunca te deixarei nem desampararei"


Crônicas de um Velho Jovem

O livro de Jó



O Livro de Jó ou Job é um dos livros sapienciais do Antigo Testamento e da Tanakh, vem depois do Livro de Ester e antes do Livro de Salmos. É considerada a obra prima da literatura do movimento de Sabedoria. Também é considerada uma das mais belas histórias de prova e fé. Conta a história de Jó, onde o livro mostra que era um homem temente a Deus e o agradava.
As inúmeras exegeses presentes neste livro são tentativas clássicas para conciliar a coexistência do mal e de Deus (teodiceia). A época em que se desenrolam os fatos, ou quando este livro foi redigido, é controverso. Existe uma famosa discussão no Talmud a este respeito.
A autoria de Jó é incerta. Alguns eruditos atribuem o livro a Moisés. Outros atribuem a um dos antigos sábios, cujos escritos podem se encontrados em Provérbios ou Eclesiastes. Talvez o próprio Salomão tenha sido seu autor. O livro de Jó também é considerado o livro mais antigo da Bíblia, mais até que o livro de Gênesis.
Por outro lado, a Edição Pastoral da Bíblia sustenta que o livro provavelmente foi redigido, em sua maior parte, durante o exílio, no século VI AC[1] .
A Bíblia de Jerusalém sustenta que o livro é posterior a Jeremias e Ezequiel, ou seja, escrito em uma época posterior ao Exílio na Babilônia, considerando provável sua composição no início do séc. V AC[2] .
A Tradução Ecumênica da Bíblia sustenta que a obra foi composta em várias etapas[3] : 
O prólogo (1:1-2:13) e o epílogo (42:7-17), seriam um conto folclórico que originalmente narrava a paciência exemplar de um homem da terra de Us (talvez em Edom, a sudeste do Mar Morto). Este conto circulava entre os sábios do Oriente Médio de formal oral desde o fim do Segundo Milênio AC, e foi recontado em hebraico na época deSamuel, David e Salomão (sécs. XI e X AC). 
Servindo-se da bem conhecida história do infeliz Jó (Ez 14:14.20), um poeta da segunda geração do Exílio na Babilônia (aprox. 575 AC) compôs o poema (3:1-31:40; 38:1-42:6). 
Os discursos de Elihu (32:1-37:24), que tratam do valor educador do sofrimento, seria uma adição posterior de outro autor. 
Muitos pensam que o Elogio da Sabedoria (28:1-28) seria uma adição posterior. 
Existem duas teorias acerca da temática central do livro de Jó. A primeira teoria diz que o tema central do livro de Jó não é o problema do mal, nem o sofrimento do justo e inocente, e muito menos o da "paciência de Jó", mas a natureza da relação entre o homem e Deus, em oposição à teologia da retribuição[1] .
Já para a segunda teoria, após uma análise sistemática do livro de Jó, observa-se que Jó apesar dos contratempos que enfrentava nunca deixou de ser fiel à Deus, indo contra os conselhos de sua própria esposa (2,9-10), mantendo-se firme em sua fé mesmo após tudo que lhe aconteceu. A obediência de Jó e sua fidelidade eram inabaláveis, o que chamou a atenção do próprio Altíssimo, enquanto Jó ainda tinha bens(1,8). Contudo, para essa teoria, o ápice do livro de Jó ocorreu exatamente quando o protagonista demonstrou um sentimento de inconformismo com sua situação, queixando a Deus pelo que passava (23,2) e ainda enfatizando que ele enquanto homem era justo, se colocando à prova (23,10), tamanha certeza de sua integridade. O comportamento de Jó era incomum, foram poucos os homens que questionaram a Deus seus problemas (Abraão Gn 15:2-5, Gideão Jz 6:13, Moisés Ex 5,22, dentre outros). Após vários questionamentos inconformados de Jó como homem justo que era, Deus o respondeu pessoalmente (38,1) e lhe deu muito mais do que ele tinha no primeiro estado(42,12).
Como Jó, na época do Exílio na Babilônia, o povo de Judá tinha perdido tudo: família, propriedades, instituições e a própria liberdade, o que exigia uma revisão da teologia da retribuição[1] .
Para conseguir sua intenção, o autor usa uma antiga lenda sobre a retribuição (1,1-2,13; 42,7-17), omitindo o final (42,7-17) e substituindo-o por uma série de debates que mostram o absurdo da teologia da retribuição, incapaz de atender à nova situação (3,1-42,6)[1] .
Aspecto importante do livro é que Jó faz a sua experiência de Deus na pobreza e marginalização. A confissão final de Jó - "Eu te conhecia só de ouvir. Agora, porém, meus olhos te vêem" (42,5) - é o ponto de chegada de todo o livro, transformando a vida do pobre em lugar da manifestação e experiência de Deus. A partir disso, podemos dizer que o livro de Jó é a proclamação de que somente o pobre é apto para fazer tal experiência e, por isso, é capaz de anunciar a presença e ação de Deus dentro da história[1] .

Cinco maneiras com as quais Deus usa as adversidades descritas em Deuteronômio 8: 
a) Humilhar-nos: Jó 22.29; Dt. 8:2. 
b) Testar-nos: Jó 2:3; Dt. 8:2. 
c) Reorganizar nossas prioridades: Jó 42:5,6; Dt. 8:3. 
d) Disciplinar-nos: Jó 5:17; Dt. 8:5. 
e) Preparar-nos para as bençãos futuras: Jó 42:10; Dt. 8:7.

fonte do texto e imagem: Wikipédia



Gerard Seghers - The Patient Job


Crônicas de um Velho Jovem

24.4.16

A Dona que se foi

A Dona que se foi

Voltei a escrever a este Blog, motivado a recuperação da vó da minha esposa, e deste modo agi e os textos  foram fluindo todos os dias que eu pude sentar e escrever assim o fazia, no entanto por querer de Deus a vó da minha esposa nos deixou, a minha vizinha de muro nos deixou.

Para descrever meu cotidiano te conto: -Amanhã vou na aula de violão, tentando aprender a tocar, pela quinquagésima vez na minha vida, vamos ver se agora vingo.

Voltando a falar da vó da minha esposa. Como é estranho saber que não veremos mais ela. Por mais piegas que possa parecer estes comentários, quando é com a gente, aí sim é diferente, fico a colocar no lugar da minha sogra e tentar entender o viúvo. Mas não é um vácuo, um vazio inexplicável. Não é oportunismo ficar comentando sobre tais considerações, mas sim algo que acomete os meus pensamentos. Abaixo a ilustração desta senhora.

Crônicas de um Velho Jovem

22.4.16

Uma decepção

Boa noite, passeando rapidamente e dando um oi para o Blog. Por motivo de reformulação decidi deixar meu blog principal em privado. Não estou tendo tempo de atualiza-lo e também atualmente recebi varias mensagens spans no blog. Estou pensando em manter a escrita escrevendo algo digamos mais pessoal, no nível crônica, com comentários pertinentes ao dia ao meu cotidiano.


Este cotidiano envolve a religiosidade, sou evangélico, logo muito o que me inspira a escrever é sem dúvida fatos relacionados a religião. De outro modo observo em mim uma lacuna no escrever de modo correto e isto esta transformando o meu modo de escrever. 


Agora é o momento confissão... Senti nestes dias ao colocar-me a prova, que muito devo melhorar, literalmente fiz uma prova, onde não obtive um bom resultado, e isto serviu de equiparação para correr atrás de melhorar. E esta prova demonstrou que o meu raciocínio compreensível deve melhorar e também a minha escrita deve melhorar.


É comodo sentar e: -Escrever, escrever e escrever sem qualidade: -Fiz isto por dois anos no blog Refletindo o Evangelho que esta na geladeira. Mas se realmente quero escrever algo bom preciso parar e respirar uma boa gramática isto estou a praticar nestes dias.


Fiquei muito triste pois a prova que não fui muito bem traria um futuro glorioso, mas paciência, entendo com veemência que infelizmente não estava preparado era uma oportunidade impar que fugiu como um passarinho entre os dedos.


Duas atitudes posso tomar deste aprendizado: -Ficar no lamento, ou correr atrás. Prefiro correr atrás. Outro fato predominante para o meu desempenho vergonhoso é a ociosidade. Fato preocupante na minha vida que preciso combater.


-Parar de vez com rede social, e agilizar o tempo para ter um real proveito senão nunca sairei da estaca zero.Digo isto com bastante preocupação, pois deveria estar melhor preparado!


Como não sou de ferro mantenho este blog e minhas ilustrações de vez em quando. Também o violão que estou tentando aprender. Atenciosamente este triste jovem velho que demonstra um pouco do seu cotidiano.
Momento Ilustração:

Faz tempo que estou postando aqui minhas ilustrações, que nada mais é que um contorno de foto onde coloco cores primárias [nada de sombras ou degradê de cores] e após publico no site pixabay disponibilizando gratuitamente uma foto gigante, logo pode-se ampliar e diminuir sem perder a qualidade, e para isto utilizo-se de fotos diversas de imagens que vejo ser interessante.

-Pensem: -Faço-as em no máximo 30 minutos pois preciso otimizar meu tempo, poderia gastar um dia todo e fazer uma obra bem aceitável mas prefiro fazer 'bastante' tinha por meta uma por dia do que algo lindo e demorado. Lembrando que é um lazer sem remuneração, Abraços a Todos do Wal. Abaixo uma desconhecida e uma escritora conhecida...

Crônicas de um Velho Jovem

19.4.16

Que Brasil estamos vivendo?

Domingo foi um dia indigesto em todos os sentidos para a minha pessoa. Primeiro por fazer uma prova e não ter tido o resultado esperado. Em segundo lugar foi a tal de votação que foi amplamente divulgado pela televisão aberta no Brasil, votação com o tema: O IMPEACHMENT da nossa presidenta.

-Um picadeiro.

Não sei se foi somente comigo, mas acho que muitas pessoas tiveram indigestão neste dia. Uma palhaçada sem medida. Todos queriam seus quinze segundo de fama, coisa mais horrenda. Todos falavam com ar de -Sou bonzinho sou santinho e quero novamente o seu votinho.

Também era possível observar que por estar sendo transmitido ao vivo em rede nacional os arreganhamentos eram constantes, e os Petistas tiveram que humilhantemente defender o seu partido e observar os até então aliados virarem a casaca pois quem seria incoveniente a ponto de queimar o filme em rede nacional com seus eleitores, deste modo não haveria outra solução para a votação, um vexame, uma vergonha, onde todos os brasileiros que estavam acompanhando ficaram observando cada barbaridade que esta bem longe de ser algo civilizado.

Não gosto nada de politica mas me incomodou e muito aquele picadeiro. E a presidenta? Traida pelo vice (que é tão flor que se cheira quanto os outros canalhas daquele planalto).
E o presidente dos deputados? Outro investigado.

Gente... Que Brasil estamos vivendo?

Crônicas de um Velho Jovem

1.4.16

Um sapato velho

Ontem a tarde perdi minha vizinha de muro, o velório foi as quatro e meia, o culto foi executado em uma igreja a três minutos da minha casa, logo após, trouxe minha filha de três anos para casa ela estava com sono e minha esposa e família foram entregar a sogra.
No horário do velório observei o viúvo, estava com uma camisa verde escuro, calça preta e este sapato velho da foto. Bom ressaltar que a foto esta no site Pixabay sempre a tardinha quando dava tempo pegava minha recém comprada máquina fotográfica e procurava ao acaso ângulos interessantes, inclusive no muro ao lado e em um destes momentos o click foi para esta foto.
É estranho a morte e imaginar que a pessoa vivia bem próximo e agora não vive mais....

Crônicas de um Velho Jovem

Postagem em destaque

O grito de uma Professora

DILACERADA Estou dilacerada. Aconteceu assim: Ele estava com o livro sobre as pernas e eu pedi: - Coloque seu livro sobre a...